Como identificar problemas de audição?

Nariz entupido?
outubro 15, 2018
Usa descongestionante? Atenção!
novembro 19, 2018
Exibir tudo

Como identificar problemas de audição?

Como identificar problemas de audição?: O ouvido humano é formado por três partes: externo, médio e interno. Cada uma destas desempenha uma função distinta e deve haver harmonia do todo para que a audição seja perfeita.

Basicamente, existem dois tipos de problemas de audição:

  •    Condutivo: ocorre quando há alguma “deficiência” na condução, que seria nas membranas timpânicas ou nos ossículos, responsáveis por transmitir as vibrações do som.
  •    Neurossensorial: neste caso, toda a anatomia está perfeita, mas as células neurais e/ou o cérebro não conseguem interpretar a mensagem.

Há também o tipo misto, em que as duas condições estão presentes, simultaneamente, explica Dra. Maria Dantas Godoy, médica otorrinolaringologista com doutorado pela USP.

Como identificar problemas de audição?

Alguns sintomas geralmente são percebidos pelos pacientes, e devem sempre servir de alerta para a procura de um médico:

  •    Zumbido;
  •    Necessidade de aumentar o som da TV ou do rádio;
  •    Dificuldade para entender o que as pessoas falam;
  •    Queixas de pessoas próximas sobre a sua “surdez”;
  •    Não ouvir ao ser chamado;
  •    Necessidade de fazer leitura labial durante conversas, dentre outros.

Dra. Maria Dantas explica que em bebês, costuma-se notar um atraso nos marcos normais do desenvolvimento, como a resposta com o olhar a estímulos, primeiras palavras, e outros.

“Em crianças maiores, os pais podem ser chamados no colégio por conta da desatenção e baixa interação dos filhos durante a aula, bem como pela queda de desempenho” diz Dra. Maria Dantas.

<<Qual a diferença entre tontura, zumbido e desequilíbrio?>>

O que deve ser feito?

Como já dito anteriormente, um médico deve ser procurado e, neste caso, o responsável é o otorrinolaringologista.

O exame clínico, feito no próprio consultório, já pode indicar alterações. Dentre elas, está a presença de infecções crônicas, malformações, problemas ósseos, anomalias do tímpano, entre outras.

Em alguns casos, é preciso também realizar a audiometria, que é um exame responsável pela detecção do tipo de perda (neurossensorial ou condutiva), e também a intensidade desta.

Dra. Maria Dantas é médica otorrinolaringologista com doutorado pela USP, que atua em São Paulo e opera nos melhores hospitais da capital paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.