Engasgamento ou engasgo com espinha de peixe

Como o sono afeta a saúde?
abril 17, 2018
Tontura X Chocolate
maio 1, 2018
Exibir tudo

Engasgamento ou engasgo com espinha de peixe

A princípio, não existe alta gravidade no engasgamento ou engasgo com espinha de peixe, em relação a outros alimentos ou objetos. Geralmente a espinha de peixe, por seu formato, não obstrui totalmente a passagem de ar. Ou seja, não causa asfixia e sufocamento, ao contrário de outros alimentos como ossos, grandes pedaços de carne ou objetos como pilhas, baterias (que inclusive contêm chumbo) ou objetos pontiagudos (que podem perfurar órgãos).

Na deglutição, o trajeto que o alimento percorre é boca, faringe, esôfago e estômago. Quando o alimento está na faringe, a epiglote fecha a entrada da traqueia, permitindo que o alimento siga para o esôfago e posteriormente para o estômago. Qualquer problema nesse trajeto provoca o engasgamento.

<<LEIA TAMBÉM: O que é Disfonia?>>

A primeira atitude nesses casos é tossir, para tentar expelir a espinha de peixe ou qualquer outro corpo estranho na laringe. Duas tossidas já deveriam ser suficientes para expulsá-lo, caso isso não aconteça, o melhor é procurar um médico para remover a espinha.

“Ingerir alimentos sólidos, umedecidos ou mesmo líquidos, na tentativa de fazer a espinha de peixe descer e cessar o engasgo não é recomendável, pois pode piorar o quadro e causar ferimentos”, alerta a Dra. Maria Dantas Godoy, otorrino.

ATENÇÃO!

Ao tentar remover a espinha de peixe pode-se empurrá-la ainda mais ou mesmo ferir a mucosa, causando inchaço o que pode levar à asfixia. O ideal é que um médico faça o procedimento, procedendo a alguns exames, como endoscopia, caso seja necessário.

A maioria dos casos de engasgo com espinha de peixe ou outro corpo estranho acontecem com crianças e idosos, justamente pela dificuldade no processo de deglutição, por falta de hábito ou mesmo desgaste.

Quando os engasgos são frequentes, deve-se buscar um diagnóstico médico. Ele vai detectar possíveis sintomas como desgaste da válvula gastroesofágica, causado por maus hábitos alimentares como o excesso de café, chocolate, álcool. Outro fator que pode causar constantes engasgos é o cigarro. Engasgos frequentes também podem indicar alguma anormalidade neurológica, pneumológica ou gastrointestinal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.